Racismo e más práticas no futebol português


Um combate diário.

O Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) tomou conhecimento dos comentários racistas proferidos pelo treinador do Portimonense, José Augusto, em relação ao jogador do Sporting B, Mama Baldé, durante a partida realizada entre as duas equipas.

Os referidos comentários constituem uma prática inaceitável que merece o mais incisivo repúdio, independentemente do contexto em que foram produzidos.

Há quem, atento o sentimento de amizade, veja nalguns comentários racistas manifestações de carinho e respeito ou os considere próprios de um jogo de futebol. Ora, salvo o devido respeito, importa erradicar estes comportamentos. Se temos uma relação de proximidade, aumenta a responsabilidade e a importância de dar o exemplo.

O Futebol, pela dimensão e impacto que assume, não pode ser excepção no combate ao racismo e às más práticas desportivas. Cabe aos agentes desportivos transmitir esta mensagem e agir de acordo com a mesma. Desvalorizar ou ser indiferente a estes comportamentos não contribui para os erradicar.

Numa altura em que a Europa e o Mundo vivem problemas acrescidos, temos o dever de fomentar a aceitação, o respeito e a solidariedade entre culturas.

Sem prejuízo das normas regulamentares e da elevada consideração que nos merece, o treinador José Augusto tem a oportunidade de se penitenciar pelo sucedido e apresentar publicamente um pedido de desculpas ao jogador Mama Baldé, a quem o SJPF manifesta, desde já, o seu total apoio.

Ao fazê-lo, está a dar um sinal de consciência cívica, a reconhecer o erro e a valorizar a sua postura no futebol, no desporto e na sociedade.