Opinião: “De Paris para o futuro”


Presidente do SJPF e as consequências da conquista do Euro 2016 pela Seleção Nacional.

Joaquim Evangelista, presidente do SJPF, analisa as consequências da vitória de Portugal no Europeu 2016, no seu artigo de opinião semanal publicado no jornal Record:

“Esta semana associo-me às comemorações do primeiro aniversário da conquista do Campeonato da Europa pela Seleção Portuguesa de futebol. Um momento que fica para história e imortaliza esta geração de jogadores.

Já muito foi dito em torno da vitória na final de Paris. Os frutos do investimento na formação do jovem jogador português, a qualidade dos técnicos que trabalharam estes jogadores desde a formação ou o trabalho inexcedível da Federação Portuguesa de Futebol na construção de um projeto desportivo são os grandes pilares de um feito gigantesco, até para um país do futebol como é Portugal.

Sobre a vitória na final de Paris que é, em primeiro lugar, dos jogadores que nela participaram e dos que contribuíram para lá chegar, acrescento que vivemos um tempo suficientemente próximo daquele dia para refletir sobre as prioridades da política desportiva nacional. Será realmente o praticante o centro das nossas atenções?

Uma política desportiva centrada no praticante não se traduz apenas no investimento e mercantilização, próprios de um mercado cada vez mais selvagem. Traduz-se em medidas que têm na sua génese a proteção dos interesses do praticante, seja no que respeita às condições laborais e aos meios legais de proteção das suas garantias, seja ao nível da educação ou até da saúde e bem-estar dentro e fora de campo.

Infelizmente vivemos um período de guerrilha no futebol português, desconsiderando totalmente aqueles que deveriam ser os fundamentos do desporto e os seus objetivos.

Devemos olhar para a nova geração de jogadores, perceber aquilo que falhou e o que tem de ser acautelado para que, de entre uma classe respeitada e valorizada perante os seus pares, continuem a emergir aqueles que nos dão as grandes alegrias!”