Atenção: não assines por clubes romenos


FIFPro alerta os jogadores para os riscos de incumprimento salarial.

A FIFPro está a alertar os jogadores profissionais de futebol para não assinarem contratos com clubes romenos, devido ao risco elevado de incumprimento salarial.

O relatório global de emprego da FIFPro, divulgado em novembro de 2016, revela que 75% dos jogadores que estão na Roménia tiveram de lidar com o fenómeno do incumprimento salarial nas duas últimas temporadas.

Em 2015, o Sindicato dos Jogadores da Roménia (AFAN) teve 257 casos de jogadores com salários em atraso, sendo que este número subiu para 287 em 2016.

Perante este cenário, João Oliveira, responsável pelo gabinete jurídico do SJPF, aconselha os jogadores portugueses a evitarem o futebol romeno.

“Esta situação é preocupante e, seguindo as recomendações da FIFPro, aconselhamos os jogadores a evitar a Roménia. Neste país, a condenação dos clubes por dívidas salariais, mesmo quando resulta de decisões proferidas pelas instâncias internacionais, não garante que os jogadores recuperem o seu dinheiro. Não existe um sistema eficaz de licenciamento e controlo da gestão financeira dos clubes, o que lhes permite, mesmo insolventes, continuar numa espiral de incumprimento”, alerta o advogado do SJPF.

João Oliveira lembra que o jogador acaba por ser o ‘elo mais fraco’ neste tipo de situações: “Não existem outros mecanismos de apoio financeiro e solidariedade que respondam eficazmente quando estes clubes falham. Num sistema como este, o jogador sai sempre a perder. Aproveito para apelar aos jogadores que não corram riscos desnecessários quando procuram uma solução profissional no estrangeiro.”

O responsável pelo gabinete jurídico do SJPF aconselha, por isso, os jogadores a procurarem o Sindicato sempre que pensam em emigrar: “O SJPF, através do contacto permanente com os seus homólogos da FIFPro, pode ajudar a identificar os problemas associados à competição de determinado país, bem como os clubes que falham sistematicamente para com os jogadores. Ninguém consegue garantir que não haverão problemas, mas um jogador bem informado estará sempre em melhores condições para fazer a escolha certa.”

Na primeira liga romena, quatro clubes estão insolventes e na segunda divisão, quatro clubes foram extintos devido à falência durante a época desportiva.