FIFPro contesta períodos de transferências


Piat move ação legal com vista a mais liberdade para os jogadores de futebol.

Phillipe Piat, presidente da FIFPro, pronunciou-se sobre o mercado de transferências e a forma como este limita a liberdade dos jogadores que tenham vontade em mudar de equipa.

A contestação surge na sequência do anúncio do lançamento da ação legal que visa esbater a existência de períodos fixos de transferências.  “O mercado de transferências tem sido, e continua a ser, construído nas costas dos nossos membros, contra os seus direitos enquanto trabalhadores e seres humanos”, observa o presidente da união mundial de sindicatos de jogadores de futebol.

Bobby Barnes, presidente da Divisão Europa da FIFPro, está de acordo com Piat: “apesar de o futebol assistir a valores-recorde de receitas, o sistema económico e de regulação do futebol falha miseravelmente em diversas vertentes e acaba por levar o desporto-rei à auto-destruição. Ruína através do sistemático desrespeito por todos os que estão dentro das quatro linhas. Ruína devido ao falhanço em obter equilíbrio competitivo e estabilidade financeira. Ruína através da ausência de responsabilidade governativa, que abre portas aos criminosos para o nosso jogo”.

“A FIFPro não vai ficar quieta nem ficar de fora enquanto os direitos do jogadores de todo o mundo forem sistematicamente desrespeitados e a indústria do futebol entrar em colapso”, conclui Piat.